A intervenção urbana é uma forma de arte cujo objetivo é interagir, de maneira criativa e poética, com o espaço cotidiano e as pessoas. As intervenções são capazes de reinventar, ainda que momentaneamente, novos sentidos ao espaço escolhido e suscitar novas percepções às pessoas.

22.12.10

Eleição de O Mundo de Norma: votos apurados

Você, que assistiu ao espetáculo O Mundo de Norma, do Coletivo Pi, participou do debate político entre os dois candidatos que disputavam o Poder, promovido pela rede Sistemática de Televisão, e ainda teve a oportunidade de votar em um deles (ou não).
É com prazer que trazemos a público o resultado da eleição:

Cantidato XY: 30% dos votos
Candidata XX: 28% dos votos

Brancos: 02%
Nulos: 30%

O Candidato XY agradece a todos os eleitores que votaram nele e garante que tudo o que foi dito no debate será cumprido!

Se você não participou de O Mundo de Norma, aguarde! Em 2011 tem mais!

11.12.10

Coletivo Pi recebe o espetáculo "Um Certo Delegado"


No próximo domingo, o Coletivo Pi recebe o espetáculo Um Certo Delegado, com Natasha Curuci e direção de Fernanda Moreno.


Um corpo que passa por isolamento, fragmentação, interrogatórios e tortura.
Representa e apresenta indivíduos que viveram e vivem ditados.


Pois digo e repito: a Lua é comunista!
Ilumina a todos, mesmo os que não pagam taxas e impostos!
...É um desaforo!

Um trecho do texto Os olhos verdes da neurose, de José Expedito Marques.



Serviço:
O quê: Um certo delegado
Quando: 19/12, às 19h
Quanto: Entrada franca
Onde: Sede do Pi - Clube Escola Santana - Av. Santos Dumont, 1318
Como chegar: clique aqui
Reserva de ingressos: 11-8191 24 08

6.12.10

Oficina Teatral da Terceira Idade conclui mais um ciclo

O rosto de cada integrante da Oficina Teatral da 3ª idade traz o semblante alegre e ansioso por mostrar a quem quiser ver o seu potencial artístico, estético e comunicativo. Chegamos ao topo de mais uma etapa percorrida com vivências que trouxeram emoções, desafios, descobertas e muitas conquistas pessoais e coletivas. Mais uma vez a sede do Coletivo Pi, no Clube Escola Santana, foi um lugar em que a partilha de conhecimentos consolidou-se por meio da boa vontade de todas as pessoas envolvidas na existência dessa oficina, desde a colaboração dos funcionários do clube até os familiares dos integrantes da turma. Concluímos mais um ciclo que não se fecha nas experiências vividas no segundo semestre deste ano, mas que possibilita, num futuro próximo, a continuação de uma convivência saudável, consciente e criativa por meio do teatro.
Para selar o fechamento das atividades deste ano da Oficina Teatral da 3ª. idade do Coletivo Pi, seus atuantes farão a apresentação de um exercício com base improvisacional, denominado Exercício Cênico: A Companhia.
A apresentação será no dia 11/12/2010, sábado, a partir das 16h, na sede do Pi. E vale observar a dedicação e alegria de cada participante que no fundo de seu coração espera sua presença por lá.
Barros Batista

5.12.10

Atriz do Coletivo Pi participa de espetáculo com La Fura dels Baus

Rede Humana

Neste sábado, 04/12, o polêmico grupo catalão La Fura dels Baus apresentou o macroespetáculo Cielo Arte, no Memorial da América Latina. O La Fura nasceu em 1979, começou com espetáculos de rua e desde 1984 se define como um grupo de teatro urbano que busca un espaço cênico diferente do tradicional. Imprimiram um novo conceito teatral alicerçado na utilização de numerosos recursos cênicos como música, dança, pirotecnia, uso de materiais naturais e interação com o espectador, criando uma simbiose entre ator e autor, fundindo-se numa mesma criação coletiva, estética que traz consigo o uso do termo "lenguaje furero". Atualmente o grupo tem diversas linhas de trabalho, como cinema, espetáculos de lenguaje furera, óperas e macroespetáculos (como o deste sábado). A atriz Natalia Vianna, integrante do Coletivo Pi, participou do espetáculo e conta como foi a experiência:

Além da adrenalina de trabalhar a 30, 40, 50m de altura e da troca e convivência com outros artistas, brasileiros e catalões, esta foi uma experiência inesquecível desde os ensaios até os momentos depois da ap
resentação, conversando com o público e ouvindo o que sentiram. O La Fura traz esta relação direta com o público, sem máscaras, sem o "estou em cena, agora não te conheço", este teatro popular, no melhor sentido que podemos dar de proximidade e troca efetiva.
A energia de tantas pessoas reunidas, celebrando, seja no solo ou no ar, é um alimento inigualável. Unindo simplicidade e tecnologia na criação de imagens poéticas, é possível, como disse Amadis de Murga, um dos integrantes do La Fura, antes de começar o espetáculo, "mostrar sonhos às pessoas".

Natalia Vianna


Botafumeiro

Boneco de 8m manipulado por cabos de aço

29.11.10

Dia 04/12: 3º Encontro do Projeto Cena Norte



Este sábado, 04/12, acontecerá o 3º encontro do projeto Cena Norte, que reuni grupos e artistas da Zona Norte de São Paulo.

Desta vez, o encontro será na sede do Coletivo Pi, às 10h.

Artistas da Zona Norte, compareçam!

Para saber como chegar na sede do Coletivo Pi, clique aqui.

26.11.10

Narrativas de Miguel


No dia 19 de novembro, o Coletivo Pi participou do Festival do Livro e da Literatura de São Miguel, organizado pela Fundação Tide Setubal, com a intervenção Narrativas de Miguel. A atriz Pâmella Cruz, uma das integrantes do Coletivo Pi que participou da intervenção, conta como foi a experiência de Narrativas de Miguel:
A nossa experiência enquanto artistas com uma intervenção de rua no Festival do Livro de São Miguel Paulista confirmou aquilo que pensamos sobre o contato direto entre arte e público.
Realizar uma ação na rua em que a participação dos passantes é fundamental para o desenvolvimento da mesma é um grande exercício de como conquistar o olhar, a atenção das pessoas para algo além de sua rotina. O mesmo vale para o objetivo principal do Festival do Livro: Como formar leitores? Como a leitura, como o livro conquista uma pessoa e a faz parar suas atividades corriqueiras?
Penso que essa aproximação por meio da arte e do próprio espaço da rua é muito interessante, na medida em que potencializa a rua como espaço do encontro, do diálogo, do aprendizado e não apenas um local de passagem, terra de ninguém.
As pessoas que pararam sua rotina para conversar, contar suas histórias e percepções do bairro em que vivem e em que muitos nasceram e foram criadas, contribuíram de maneira singular para a memória de São Miguel Paulista e durante certo tempo estiveram ali como escritores, poetas, historiadores, transformando as palavras em imagem e poesia.
Pâmella Cruz
"Meu avó sempre me dizia que aqui em São Miguel, as estrelas caem do céu como raios de luz"
Depoimento de uma das pessoas que participaram da intervenção Narrativas de Miguel

18.11.10

Festival do Livro e da Literatura de São Miguel

Nesta sexta (19/11/2010), o Coletivo Pi participará do Festival do Livro e da Literatura de São Miguel, realizado pela Fundação Tide Setubal, com a intervenção Narrativas de Miguel.

Pelo quinto ano consecutivo, a Fundação Tide Setubal realizará um evento de estímulo à leitura em São Miguel Paulista. Na edição de 2009, cerca de 4 mil pessoas participaram de encontros com escritores, contadores de histórias, poetas, além de debates temáticos, produção de textos coletivos e compra e troca de livros ao longo dos três dias do evento no CDC Tide Setubal.
A novidade, em 2010, é que o Festival não se restringirá ao CDC, mas também estará nas ruas, praças, paradas de ônibus, biblioteca, mercado municipal e estação de trem do bairro. Serão os Corredores de Livros, conceito inspirado nos corredores de ônibus que seguem itinerários mais livres para se livrar do tormento dos engarrafamentos urbanos. As atividades serão realizadas nos dias 18 e 19 de novembro, das 9h às 22h, e no dia 20 de novembro, das 9h às 17h.
Acontecerão, em diferentes locais, intervenções artísticas, contação de histórias e debates. Os livros doados serão distribuídos, gratuitamente, na feira de troca de exemplares do CDC. Para convidar os moradores à leitura, exemplares também serão pendurados em árvores.
O evento pretende contribuir para a democratização do acesso ao livro, uma vez que o acervo público da região é reduzido.
(site da Fundação Tide Setubal)

A proposta do Coletivo Pi para a intervenção Narrativas de Miguel é chamar a atenção dos transeuntes para uma situação inusitada dentro do contexto da rua, criando uma imagem viva, uma situação “improvável” para o espaço.

Clique aqui e confira a programação completa do Festival!

10.11.10

2º Encontro do Projeto Cena Norte

O segundo encontro do projeto Cena Norte aconteceu no dia 30 de outubro de 2010 no espaço da Cia Daraus. Apesar da manhã de sábado chuvoso, os participantes chegaram pontualmente e às 10h30 iniciou-se um diálogo rico e extremamente animador sobre como fazer da Zona Norte mais um espaço de produção cultural reconhecido pela população e pelo poder público.
Artistas, grupos de teatro, circo, produtoras e professores da rede pública, além de Sérgio Luis , do SESC-SP (propositor em conjunto com a Cia Arte tangível da iniciativa) estiverem presentes, expondo suas idéias, sugestões e criticas para as próximas ações do Cena Norte, para mostrar aquilo que já existe e está sendo produzido e para possibilitar novas alternativas.
Do encontro saíram as comissões formadas voluntariamente para tratar dos seguintes temas:
  1. Editais, leis de incentivo e recursos para sobrevivência dos grupos e ações culturais.
  2. Relacionamento com o Poder Público
  3. Formação Continuada
  4. Divulgação
Além disso, a Cia Daraus nos acolheu em seu espaço e mostrou cenas do seu novo espetáculo As Médeias da Periferia. Aliás, os jovens que estão em cena nos encantam com o envolvimento e paixão com que realizam a cena e todo o projeto da Cia em conjunto com Dani Ciasca.
No próximo encontro, dia 04 de dezembro, na sede do Coletivo PI as comissões apresentarão propostas de ações a serem debatidas e votadas por todos.
O Coletivo Pi, mais uma vez esteve presente e reforça sua participação no projeto Cena Norte, pois acredita no encontro e nas parcerias como espaço para construção de diálogos, ações e, primordialmente, para potencializar o fazer artístico. Aproveitando uma das frases de Arnaldo Antunes, escrita em uma das paredes da Cia Daraus, terminamos este pequeno relato:
"A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte."

7.11.10

O Mundo de Norma


O Coletivo Pi apresenta o seu novo espetáculo O Mundo de Norma durante o mês de novembro em sua sede, no Clube Escola Santana na zona norte de São Paulo.

O espetáculo surgiu de um dos temas abordados na Bienal de Artes deste ano: “O que é invisível na cidade?” e articulando pesquisas sobre idéias de autores que discursam sobre a vida na sociedade contemporânea como Michel Foucault e
Bauman.

Com roteiro original O Mundo de Norma é uma peça divertida que retrata o cotidiano de quem vive em uma grande cidade e revela de maneira bem humorada e critica tantas situações absurdamente banais dentro da normalidade da vida urbana.


Veja o vídeo de divulgação do espetáculo:

video

Serviço:
Quando: 13 a 28 de novembro, sábados e domingos às 18h

Duração: 80min
Onde: Sede do Coletivo Pi - Clube Escola Santana
Av Santos Dumont, 1318
(clique aqui para ver o mapa)
Ingresso: Pague quanto quiser
Lotação: 20 pessoas
Retirar ingressos no local com 30 minutos de antecedência
Ingressos antecipados: 6603 89 93

5.11.10

Sobre o Manifesto do Pijama, por Carminda Mendes

Queridos e caros
Parentes nas Artes

Escrevo ainda no calor da euforia e da sensibilidade de nossa adorável performance na Bienal.
As provocações de sensibilidade das obras, o publico ávido de experimentar, a possibilidade de transformar o espaço da Bienal em um lugar utópico, de encontros entre diferentes, tudo, para mim, foi da ordem do sublime.
Tudo aos poucos, é verdade, mas chamuscante ao final.
Nossa experiência me mostrou que ali podemos inventar espaços para o reconhecimento do corpo-coletivo, do pertencimento à uma comunidade...
Ali dialogamos com sínteses artísticas e ficamos tontos, bêbados de tantas possibilidades para a subjetividade do coletivo (estou falando de nosso grupo e dos grupos de visitadores que comungaram conosco a leitura de algumas obras).
Nunca pensei que a Bienal pudesse possibilitar o exercício pedagógico de sofremos ontem! Mesmo com todo aparado de guerra ali internalizado,
mesmo com toda a estratégia de segurança nos conduzindo a um tipo de comportamento de ‘gado’,
os pijameiros coloridos respeitando a arte,
aos olhos desconfiados e medrosos das moças e rapazes com seus pijamas de cor preta,
os pijameiros coloridos com delicadeza,
aos olhos vigilantes dos rapazes com seus pijamas cinzas,
os pijameiros coloridos de ‘manifesto do pijama’ pelo corpo todo,
mesmo aos olhos espantados dos rapazes e moças com seus pijamas de camiseta verde, conseguimos ultrapassar a visitação consumista que nos impõe a logística da administração do evento,
mesmo com todas as armas apontadas na cabeça,
conseguimos chegar perto de alguns artistas e jogar em sua obra.
O que posso dizer dessa situação do visitante da Bienal?
Os artistas estão ali estrangulados,
suas obras interativas estão sendo cercadas por grades invisíveis de ferro mássico! Visitamos uma prisão de obras que nasceram para interagir.
As obras estão encarceradas por que são insurgentes.
Como o ‘manifesto do pijama’, insurgimos com algumas obras burlando a segurança...
questionando a própria existência de uma Bienal carcerária...
Obrigada por me possibilitar abrir os poros de um corpo-tartaruga.
Um beijo em cada um que ali viveu e se transformou.
Nunca mais seremos os mesmos.
Carminda Mendes

Carminda Mendes é atriz, encenadora e performer. Atualmente pesquisa formas pós-dramáticas e arte nos espaços públicos e é docente do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista - Unesp. Sua atual área de interesses navega entre teatro contemporâneo e conhecimento.

25.10.10

Manifesto do Pijama


Neste sábado (23), o Coletivo Pi, participou do Manifesto do Pijama, idealizado pelo artista plástico Duda Penteado. Juntamente com outros artistas e estudantes do Núcleo de Artes Pitorescas do Departamento de Artes Cênicas, Educação e Fundamentos da Comunicação da UNESP, sob coordenação da professora Carminda Mendes André, a intervenção aconteceu no pavilhão da 29ª Bienal de Artes de São Paulo.

Já re
alizado em outros locais, o “Manifesto do Pijama” é, segundo Duda Penteado, um manifesto contra a inércia do ser humano, contra o ‘status quo'. O pijama representa essa inércia, representa o “acordado dormente”, as pessoas que aceitam tudo sem refletir.



23.10.10

O que rolou no Sarau do Pi...



Natalia Vianna, Pâmella Cruz, Priscilla Toscano e Barros Batista. Integrantes do Coletivo Pi.

O segundo Sarau do Pi aconteceu no dia 16/10 e cumpriu o que prometeu!
Além das diversas apresentações que já estavam confirmadas, muitos trouxeram suas contribuições e deixaram sua marca.
O Coletivo Pi agradece a todos que compareceram e participaram do Sarau, tornando aquela noite tão agradável.

Neste segundo Sarau, o Coletivo Pi apresentou uma cena de seu novo espetáculo, com estréia prevista para 13 de novembro, "O Mundo de Norma".


Priscilla toscano e Pâmella Cruz, em "O Mundo de Norma", no 2º Sarau do Pi.

Acompanhe as fotos e vídeos do que rolou no Sarau pela nossa
página no facebook.

Se você perdeu, já se programe: o 3º Sarau do Pi vai ser no dia 11/12/2010!
E dia 13/11 estréia "O Mundo de Norma". Sábados e domingos, às 18h, na sede do Pi!

15.10.10

Sábado: 2º Sarau do Pi!

video

Não perca!
16/10, das 17h às 21h.
Av. Santos Dumont, 1318 - próximo ao metrô Tietê
Clube Escola Santana

11.10.10

Neste fim de semana: 2º Sarau do Pi


Já se programou para o fim de semana? A segunda edição do Sarau do Pi acontece neste sábado (16/10), a partir das 17h, na sede do grupo (clique aqui para saber como chegar).

Algumas das apresentações confirmadas:

* Partitura Corporal de Natasha Curuci e Fernanda Moreno
* Apresentações musicais com diversos artistas, dentre eles Paula Castiglioni, Alfredo Santos, Paulo Henrique, Geverton e Adolpho, Alfredo Santos, Priscilla Toscano, Douglas Torelli e Natalia Vianna
* Contação de histórias com a Cia. Carne de Língua
* Exposição "Tripoética: objetos, poemas e hipertexto", de Inti Nicolai
* Radionovela com o grupo Despertar

A proposta é que aqueles que se interessarem também tragam suas apresentações, independente da linguagem artística.

Além disso, o Coletivo Pi também apresentará uma cena de seu novo espetáculo - O Mundo de Norma.

Não perca! Venha e se apresente também. O artista no Pi é você.

27.9.10

Coletivo Pi participa do 1º Encontro do Projeto Cena Norte


O Coletivo Pi participou nesse último sábado (25/09) do primeiro encontro de artistas e grupos de artes cênicas da zona norte de São Paulo, ocorrido no Sesc Santana: o projeto Cena Norte. A iniciativa é uma parceria entre o Sesc Santana e o grupo Arte Tangível. O encontro ainda teve a participação de Chico Medeiros, diretor e pesquisador de teatro e professor da PUC-SP.
Dentre os artistas e grupos presentes, estavam a Cia. Daraus, Capadócia, BubiÔ FicÔ LÔ, Baú de Histórias, Caleidoscópio Comunicação e Cultura, grupo de dança Em Sonhos, artistas independentes e integrantes da própria cia. Arte Tangível. Além do levantamento dos artistas da região da zona norte, a idéia é promover encontros entre eles para trocar experiências e debater como fomentar e manter a região norte como mais um dos pólos artísticos da cidade de São Paulo. O próximo encontro está marcado para o dia 30/10, na sede da Cia. Daraus.
Nós, do Coletivo Pi, queremos ressaltar a importância e relevância dessa iniciativa do grupo Arte Tangível juntamente com o Sesc Santana e reafirmar que participaremos dos encontros contribuindo para novas reflexões e ações de artistas que, como nós, atuam na zona norte, fomentando novos projetos para a região.

26.9.10

Pesquisa e criação: sobre o novo espetáculo do Coletivo Pi


O Coletivo Pi fará nessa terça (28/09) uma pesquisa de campo para seu novo projeto cênico, com estréia prevista para 16/11 na própria sede do grupo. A pesquisa trata de uma breve entrevista/conversa com pessoas que estiverem transitando nas proximidades do metrô Tietê. A idéia é compartilhar com as pessoas algumas questões pertinentes nas discussões e cenas do novo projeto.
No novo projeto, nós do Pi optamos mais uma vez pela construção de um espetáculo autoral, no qual os atores-criadores improvisam as situações e compõem em conjunto a dramaturgia e a própria encenação.
O projeto surgiu de dois interesses principais: realizar um espetáculo que dialogasse com a vida em uma metrópole como São Paulo, brincando com situações recorrentes da vida urbana e pensando em um dos temas propostos na 29° Bienal de Artes – “o que está invisível na cidade”.
O outro interesse, ou melhor, pesquisa, é sobre como envolver a linguagem teatral e a intervenção, não apenas durante o processo de criação mas também no próprio espetáculo.

23.9.10

Dia 16/10 será o 2º Sarau do Pi, com direito a cena do novo espetáculo

Neste segundo semestre, o Coletivo Pi está desenvolvendo diversas atividades.
Além da oficina regular de teatro para a terceira idade, um novo espetáculo está em processo, com estréia prevista para novembro, e o 2º Sarau do Pi já tem data marcada: 16/10/2010, a partir das 17h.
Neste segundo Sarau, o Pi apresentará uma cena deste novo espetáculo. O processo de construção do mesmo partiu de uma série de questões levantadas pelo grupo, que levou estas perguntas para as ruas e para a internet (veja enquete aqui no blog, twittter e facebook).
Em breve, mais informações sobre este novo projeto.
Mas, por enquanto, deixamos a pergunta:

O que é invisível para você?

21.9.10

Coletivo Pi reinicia as atividades da Oficina de teatro para a terceira idade

Após o período de férias no qual aproveitamos as emoções da Copa do Mundo e algumas delícias do inverno, retomamos no início de agosto as atividades da Oficina de teatro para a terceira idade, que o Coletivo Pi mantém desde fevereiro de 2010 em parceria com o Clube Escola Santana.
A procura constante de interessados nas vagas da oficina e a continuação dos participantes da primeira fase demonstram a importância dessa iniciativa que valoriza a experiência pessoal de cada um, a relação humana e a ampliação do conhecimento. O Coletivo Pi busca consolidar cada vez mais este espaço onde afetividade e cognição são estimuladas constantemente por meio de jogos teatrais, depoimentos, noções teóricas e exercícios corporais.
No semestre anterior os atores e arte educadores Barros Batista, Pâmella Cruz e Priscilla Toscano, integrantes do Coletivo Pi, desenvolveram uma programação voltada para a prática da improvisação que resultou, no início de junho, na apresentação pública do exercício cênico Cenas curtas, relatos profundos. Nas atividades do segundo semestre o foco dos exercícios está na construção da personagem e no contato com textos dramatúrgicos, além de outros elementos importantes, mas que ainda são surpresas.
Temos a felicidade de receber novos companheiros que junto aos “veteranos” demonstram empolgação nos exercícios e alegria nas descobertas. É visível a energia renovada a cada encontro do grupo que revela vivências e desafios.
Agradecemos ao Clube Escola Santana por manter a parceria e também a todos os parceiros que frequentam, incentivam e divulgam o trabalho do Coletivo Pi.

28.7.10

Como chegar na sede do Coletivo Pi?


Coletivo Pi – Av. Santos Dumont, 1318 – Santana.

Como chegar no Pi? Se você vem de carro do centro, pegue a a Av. 9 de julho, siga em frente até passar pelo túnel e entrar na Av. Tiradentes. Siga em frente, a av. Tiradentes termina na Av. Santos Dumont. Você verá a Universidade UniSantana, o Clube Escola Santana fica bem ao lado. A Sede do Pi está lá dentro. Não há placas do lado de fora do clube, a entrada é no portão ao lado do ponto de ônibus. Se você vem de metro, desça no Metro Tietê, siga a placa para a saída da Voluntários da Pátria e Av. Santos Dumont. Entre na Rua Voluntários da Pátria à esquerda (sentido marginal), vá até ao final da rua e corte caminho pelo posto de gasolina Ipiranga. Você vai sair em frente a Uni Santana, o Clube Escola Santana está ao lado – O Coletivo Pi está lá dentro.

1º Sarau do Pi




No próximo sábado 31/07 acontece o 1º Sarau do Pi

O Coletivo Pi realiza no sábado dia 31 de julho a primeira edição do Sarau Artístico do Pi. A proposta é tornar o espaço que o grupo ocupa no Clube Escola Santana um local para apresentações das diferentes expressões artísticas, tanto para profissionais da área como para o público geral.
Para sua primeira edição, o Sarau do Pi conta com exposição de fotografia Ceci n'est pà eine Pipe, que faz referencia a famosa obra de Carlos Magrite e trata do entrelaçamento entre ficção e realidade do objeto. Além disso haverá a apresentação da Banda 300km/h com releituras das músicas de Roberto Carlos. A Companhia Carne de Língua traz um conto tradicional do Quênia e muito mais. Além disso, a proposta é que os interessados também façam suas apresentações, seja uma leitura de texto, cena ou canção.

Quando: 31/07 (sábado)
Horário: 17h- 21h
Onde: Clube Escola Santana
Endereço: Av. Santos Dumont, 1318 – Santana
(ao lado da Uni Santana- próximo ao metrô Tietê)
Atividade Gratuita

Apresentações confirmadas:

- Banda 300 km/h
- Cia. Carne de Língua
- Apresentação musical de Paula & Guilherme Rios
- Apresentação musical de Natália Vianna

Venha e se apresente também! O artista no Pi é você.

22.7.10

Termina a Oficina de Teatro para Adolescentes: Ação, Improvisação e Intervenção

Nessa terça-feira (27/07) termina a oficina de férias para adolescentes realizada na sede do Coletivo Pi. O curso teve início na primeira semana de julho com mais de dez jovens da região.

Com encontros semanais, a oficina buscou contribuir para o desenvolvimento da comunicação, da expressão corporal e da criatividade dos adolescentes.
"Acreditamos que o teatro é uma forma prazerosa do jovem construir novos conhecimentos e interagir com outras pessoas".

24.6.10

O que é o Coletivo Pi?



O Coletivo Pi é um grupo que trabalha com teatro e intervenção. Seus integrantes se conheceram em 2005 no curso de Licenciatura em Artes-Teatro da UNESP.
Após muitos trabalhos realizados em conjunto, Pâmella, Priscilla e Barros Batista perceberam a afinidade quanto às questões cênicas que o interessavam assim como a própria dinâmica de trabalho que fluía muito bem. O desejo de formar um coletivo para pensar, fazer e criar se concretizou em 2009, ano também que conquistaram a sede do grupo, localizada na zona norte de São Paulo através da parceira com o Clube Escola Santana
Mas por que Pi? O que é o PI?
É o mais conhecido 3,14.
É o símbolo grego utilizado pela Matématica em diversos cálculos...
É um símbolo de fácil reconhecimento...
Está ligado a qualquer forma circular...
É o 3,1415926.
É o valor da razão entre a circunferência de qualquer círculo e seu diâmetro, é a mais antiga constante matemática que se conhece.
Tem força enquanto palavra e som.
É a mais pura abstração...
É o nome de um personagem do livro Avó Dezenove e o Segredo do Soviético - Ondjak.
E tem mais, para quem não sabe o Pi tem até um dia próprio, isso mesmo! A primeira comemoração do Dia do Pi aconteceu no museu Exploratorium de São Francisco, em 1988, com público e funcionários marchando em torno de um dos espaços circulares do museu, e depois consumindo tortas de frutas no ano seguinte, o museu acrescentou pizza ao menu do Dia do Pi.
Enfim o PI é um símbolo ligado a circularidade, a qualquer simetria esférica.
Elegemos o círculo como a forma mais democrática de distribuição de pessoas em um espaço. Todos possuam a mesma posição, todos podem se ver.